Relações Institucionais

 

Notícias

Semana da Consciência Negra reúne música, literatura e oficinas em diversas atrações até domingo

Atividades acontecem em diversos pontos pela cidade, todos com entrada franca
17/11/2022 10:19h


Foto: Divulgação RIC/PMI
Foto

Evento reúne filme, exposição, oficinas e a segunda edição do projeto Jardim das Letras

Promovida pela Prefeitura de Indaiatuba, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, a Semana da Consciência Negra 2022 acontece entre os dias 17 a 20 de novembro, com filme, exposição, oficinas e a segunda edição do projeto Jardim das Letras, reunindo Samba de Roda e literatura. A programação é inteiramente gratuita.

A Semana da Consciência Negra 2022 tem início na quinta-feira, 17 de novembro, com mais uma sessão do programa Pontos MIS, promovido pelo MIS (Museu da Imagem e do Som) e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. Infiltrado na Klan, do diretor Spike Lee, é o filme selecionado e a exibição acontece às 19h30, na Tulha do Casarão.

O filme se passa em 1978. Ron Stallworth (John David Washington), um policial negro do Colorado, consegue se infiltrar na Ku Klux Klan local. Ele se comunica com os outros membros do grupo através de telefonemas e cartas, mas quando precisa estar fisicamente presente, envia outro policial branco no seu lugar, Flip Zimmerman (Adam Driver). Depois de meses de investigação, Ron se torna o líder da seita, sendo responsável por sabotar uma série de linchamentos e outros crimes de ódio orquestrados pelos racistas.

Serão disponibilizados 50 ingressos gratuitos, que podem ser retirados uma hora antes da exibição do filme. O Pontos MIS nasceu com o objetivo de promover a circulação e difusão audiovisual, a formação de público e a circulação de obras do cinema, estabelecendo parcerias entre o MIS e os municípios.

No dia 18, o Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU) do Jardim São Conrado recebe exposição do artista visual Salomão (Alison Rodrigues). Nascido nos anos 2000, retrata a realidade do movimento negro em que vive com seu Catecismo, movimento artístico usado para expressar o que ocorre nos dias modernos, fazendo alusão ao rito religioso de mesmo nome. Durante o evento, apresenta seis trabalhos em óleo sobre tela.

Quem também se apresenta é o poeta, podcaster e slammer Vini Alceu. Artista independente com mais de 20 anos de escrita, participa há sete de eventos culturais com sua performance poética. Já apresentou seu trabalho em saraus, escolas, pubs e eventos literários, além de ministrar palestras e oficinas de poesia.

Durante o evento, fará um Slam (batalha de poesia) com Vica, poeta, rapper e cofundador do Sarau ComplexCidade, e Nanda, poeta e comunicadora. Essa apresentação visa conectar o público com os poetas, através de seus versos e suas falas imponentes, além da performance de corpo e expressividade facial, para objetivar o máximo possível o contexto da poesia.

Quem também se apresenta neste dia é Guerreiro Nato e DJ Smith, dupla que iniciou seus trabalhos nos anos 2000 em Indaiatuba e já participou de diversos eventos, festas, bares e casas noturnas na região e capital, sempre apostando no ‘canto falado’ do rap raiz, contundente e objetivo, misturado a colagens e scratches comandados pelo DJ que comanda os toca-discos.

Para a Semana da Consciência Negra, a dupla apresenta uma performance inédita com músicas rap que abordam o tema em suas letras.

Oficinas

No sábado, dia 19, a partir das 9h, a Biblioteca Municipal recebe duas oficinas, de Bonecas Abayomis e Turbantes, comandadas pelo projeto Filhos da Semente, de Indaiatuba. Os interessados podem se inscrever pelo telefone (19) 3834-6319.

Sem costura alguma (apenas nós ou tranças), as Bonecas Abayomis não possuem demarcação de olho, nariz ou boca, para favorecer o reconhecimento das múltiplas etnias africanas.

Para acalentar seus filhos durante as terríveis viagens a bordo dos tumbeiros – navios de pequeno porte que realizavam o transporte de escravos entre África e Brasil – as mães africanas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção.

As bonecas, símbolo de resistência, ficaram conhecidas como Abayomi, termo que significa ‘encontro precioso’, em Bantu e Iorubá, uma das maiores etnias do continente africano cuja população habita parte da Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim.

No mesmo horário, mas voltado para o público adulto, acontece a Oficina de Turbante. O turbante é uns dos instrumentos de resistência e história do povo preto e também pode ser chamado de ojá ou amarração. O tecido e a maneira que ele é amarrado carregam diversos significados como posição social e fundamentos religiosos.

Hoje, o turbante é utilizado no intuito de resgatar a herança cultural, proveniente da África. É sim um adorno que coroa mulheres e homens, mas não somente isso: o intuito da oficina é discorrer sobre a história deste importante símbolo cultural, além de ensinar passo a passo como fazê-lo no dia a dia.

Feira

Ainda no sábado, dentro da programação da Feira das Artes de Indaiatuba, realizada na Praça Rui Barbosa, acontecem mais duas apresentações. Às 10h30, cerca de 30 alunos da Escola Estadual Profª Annunziatta Leonilda Virginelli Prado apresentam o projeto e bloco escolar Batu-Kandô, coordenado pelo professor Edgar Paulino dos Santos.

O projeto surgiu em 2009 nas escolas Annunziatta Leonilda Virginelli do Prado e EMEB Profª Elizabeth de Lourdes Cardeal Sigrist. Tem como principal objetivo ampliar o repertório cultural, musical e artístico dos alunos. Batucando, eles trabalham a coordenação motora, as propriedades do som (altura, intensidade, timbre e duração), noções de trabalho em grupo e construções em série (seriação e sequência).

Às 11h, o grupo Filhos da Semente apresenta o jongo, uma manifestação afro-brasileira típica do Sudeste que surgiu na época da escravidão do Brasil. Também conhecida como caxambu, é um jogo de responsório (com cantos de dizeres e respostas) cheio de metáforas, estratégia utilizada pelos negros escravizados para negociações de festividades e fugas sem que os donos das fazendas pudessem saber sobre o que se cantava ao som do batuque.

A música do jongo é acompanhada por palmas e por dois tambores que representam a ancestralidade desta manifestação, o tambu e o candongueiro, enquanto um casal dança com passos marcados.
Encerrando a programação, no domingo, dia 10, a partir das 10 horas, o Casarão recebe a segunda edição do Jardim das Letras, com a participação de Izilda Aparecida Pereira Knauft, aluna de teatro da Terceira Idade do Espaço Bem Viver, que fará a leitura de textos ao lado de Vini Alceu. O samba de roda será comandado pela cantora Juliana Alves.  

PROGRAMAÇÃO

17 de novembro, às 19h30
Pontos MIS, com o filme Infiltrados na Klan
Local: Tulha do Casarão
Endereço: Rua Pedro Gonçalves, 477

18 de novembro, às 19h
Exposição, Música e Poesia
Local: CEU São Conrado
Endereço: Rua Jordalino Pietrobom, 1.300

19 de novembro, às 9h
Oficinas de Bonecas Abayomi e de Turbante
Local: Casa da Memória ‘José Luiz Sigrist’

19 de novembro, às 10h30
Projeto e bloco escolar Batu-Kandô, da E.E. Annunziatta Leonilda Virginelli do Prado
Local: Feira das Artes de Indaiatuba
Endereço: Praça Rui Barbosa, Centro

19 de novembro, às 11h
Oficina de Jongo, com o grupo Filhos da Semente
Local: Feira das Artes de Indaiatuba

20 de novembro, às 10h
Jardim das Letras, com Juliana Alves, Izilda Aparecida Pereira Knauft e Vini Alceu
Local: Casarão Pau Preto

  • Redator(es): Fábio Alexandre
  • Release N.º: 1091

Notícias relacionadas

Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 2800 - M.D. - CEP: 13331-900
Telefones: (19)3834-9000 / 0800-770-7702

© Prefeitura Municipal de Indaiatuba